Por exemplo: Marvel, DC, Liga da Justiça, ...

05 HISTÓRIAS QUE PODEM INSPIRAR O PRÓXIMO FILME SOLO DO BATMAN

Ben Affleck vai escrever, dirigir e estrelar o próximo filme do Batman, ou seja o ator vai realmente ser o Batman em todos os sentidos. E o ator já declarou que irá abordar o lado mais detetivesco do herói em seu próximo filme solo. E para ajudar o Batfleck a decidir que rumo tomar no longa o que não faltam são HQs do homem morcego.

E o Máquina Nerd separou cinco singelas sugestões de histórias que seriam uma boa aposta para o filme. Confira abaixo e diga o que você acha.

 

  • Silêncio

Uma das melhores histórias do morcegão de todos os tempos. Ao todo são 12 edições mensais publicadas pela DC entre 2002-2003, de autoria de Jeph Loeb (texto), Jim Lee (desenhos), Scott Williams (arte-final) e Alex Sinclair (cores). Silêncio traz um novo vilão misterioso que atrapalha a vida do Batman e coloca o herói contra um grande número de vilões que estão com algumas características mudadas e mais perigosos. Explora bem o lado detetive do Batman enquanto explorar de maneira particularmente boa a galeria de vilões do herói.

Seria ideal para introduzir de forma orgânica o background e os personagens, antagonistas e aliados, que fazem parte das histórias do cruzado encapuzado, uma vez que no Universo Estendido da DC o morcegão já é um herói estabelecido e “velho de guerra” que já viu muita coisa nas ruas de Gotham, então, pode-se assumir que alguns de seus icônicos antagonistas também já estão na ativa há algum tempo.

E como o próprio Batman, Ben Affleck já disse que quer explorar mais o lado detetive do herói não vejo história melhor para fazer isso.

 

  • O Longo dia das bruxas

Originalmente concebida como um arco para a revista Legends of the Dark Knight, a minissérie ‘Batman – O Longo Dias das Bruxas‘ se tornou um dos maiores épicos dos quadrinhos e consagrou a dupla Jeph Loeb e Tim Sale. Seguindo diretamente os eventos de Batman Ano Um, esta obra mostra uma série de assassinatos ocorridos em datas festivas e sempre relacionados ao submundo dos gangsteres de Gotham City, trazendo de volta personagens como Carmine Falcone – o Romano -, Harvey Dent, James Gordon, Mulher-Gato e muitos outros. É um bom arco, pois traz a gênese do Duas-Caras, a evolução da amizade entre Gordon e o Cavaleiro das Trevas e a relação entre a Mulher-Gato e Batman.

Ao mesmo tempo que traz um Batman detetive investigando um serial-killer atrás da máfia de Gotham, a história também tem uma pegado noir que seria extremamente interessante se bem trabalhada nas telonas. E eu acredito que Ben Affleck tem o potencial como diretor para tanto. Se você viu o trailer de A Lei da Noite sabe do que eu estou falando, O Longo Dia das Bruxas é basicamente esse filme com o Batman, Coringa e companhia.

 

  • O Filho do Demônio

Publicada originalmente em Batman: Son of The Demon de 1988 com roteiro de Mike W. Barr, arte de Jerry Bingham e cores de Jerry Bingham, a história introduz um personagem que divide opiniões do público.

Batman é obrigado a se aliar ao seu maior adversário para deter um terrorista sanguinário e insano que obtém o controle de uma máquina capaz de manipular o clima. Assim, o Cruzado Encapuzado se vê em uma difícil situação, tendo de caçar o sádico criminoso e, ao mesmo tempo, proteger Talia, a mulher que pode estar carregando em seu ventre o filho do Homem-Morcego.

Apesar do vilão Ra’s al Ghul já ter sido explorado em Batman Begins, de Christopher Nolan e ter sido o vilão da terceira temporada de Arrow, seria uma boa aposta para um novo filme do herói, sem falar na introdução de Damian Wayne, o primeiro Robin que de fato é filho do Batman. Seria uma nova dinâmica para a dupla nos cinemas, além de ser a oportunidade perfeita para trabalhar um lado do herói não tão explorado nas telonas, o de Bruce Wayne e mais, um Bruce tendo que conciliar sua vida dupla com a difícil tarefa de ser pai. No mínimo interessante eu diria.

  • Corte das corujas

Batman já ouviu falar sobre o conto da Corte das Corujas. Há séculos reunindo-se nas sombras e usando a ave de rapina noturna como seu cartão de visita, é dito que os membros dessa temível e
poderosa cabala são os verdadeiros donos de Gotham City. Mas o Cavaleiro das Trevas nunca acreditou em tais lendas.

Um dos melhores e mais complexos arcos dos Novos 52 e responsável por consagrar de vez o roteirista Scott Snyder.  A Corte das Corujas tem vários elementos que acrescentariam em um filme solo do homem morcego. Bruce investigando a morte dos pais, uma organização secreta cabulosa e uma nova relação do herói coma cidade que jurou proteger. Intrigas e mistérios, organizações secretas e tudo o que um bom filme de detetive precisa, sem falar num Batman sangue nos olhos indo atrás de super vilões usando máscaras de corujas.

Tenho duas considerações para fazer a esse respeito, a primeira é, após ver Garota Exemplar tudo que eu mais quero é que Affleck dirija e estrele um filme baseado nesse arco. E segundamente acho difícil isso acontecer, pois a Corte será vista na terceira temporada de Gotham, mas nunca diga nunca — veja o que os produtores falaram de Esquadrão Suicida em Arrow.

 

  • Morte da Família

O Coringa retornou, agora transformado em algo ainda mais perigoso do que qualquer uma de suas
encarnações passadas. Dessa vez, porém, parece que o Cavaleiro das Trevas não é o alvo direto do vilão, mas sim todos aqueles que o herói chama ou já chamou de “família”! Comissário Gordon, Alfred, Batgirl, Robin, Capuz Vermelho… todos estão prestes a se tornar alvos de um Palhaço do Crime mais imprevisível, impiedoso e psicótico do que nunca.

Estou falando do arco dos Novos 52, pois acho que a história que traz Jason Todd morto pelas mãos do palhaço do crime deve ser usada como flashback, já que, como vimos em Batman vs Superman, tal fato já aconteceu há pelo menos alguns anos.

Ver o Coringa com a cara arrancada e a tensão de achar que o palhaço do crime arrancou o rosto de toda a Bat-família é sinistro. Sem falar que Snyder conseguiu introduzir um novo capítulo na relação entre Batman e Coringa nesse arco, mostrando a todos que na mente doentia do palhaço ele ama o herói e o vê como sua contra-parte, acreditando que a Bat-Família, que só fez crescer nos quadrinhos, deixou o morcego de Gotham mais lento, mais fraco, mais humano.

Dúvido que eles façam isso nos filmes, mas seria irado e uma ótima oportunidade para Jared Leto se redimir no papel do vilão.